Sábado, 28 de Fevereiro de 2009

A selva alheia

Estranho quem vive barricado na sua selva. E se recusa a visitar, nem que seja por um segundinho, a selva alheia.  Fico  varado - eu que gosto de mixar universos e personagens  e de circular em territórios contrastantes - com os cidadãos que só se sentem bem ou na tascarola ou no grémio literário. Aqueles que se recusam a passear diletantemente pelas diversas esquinas da vidinha, das mais limpas às mais abodegadas, e que preferem ficar estacionados, como se costuma dizer,  em lugar seguro. Sempre o mesmo, sempre o mesmo, seja  este elitista ou achungalhado.

 

Os que não passam a fronteira das freguesias do seu preconceitozinho para visitar outros lugarejos, ambientes e perfumes. Os que se recusam a falar com os Fanãs porque só se dirigem a pessoas de dois apelidos. Ou o contrário: gente que se recusa a falar com quem usa pulloveres em bico e tem uma maneira afectada de falar porque isso era ceder ao mundo "deles", do "guito" e da "tradição".

 

Peço desculpa, como o outro, por estar a sublinhar o óbvio : isto, seja o que isto for,  vale a pena, parece-me (a mim e à dona Lurdes),  pelas possibilidades.  Por, num dia, podermos estar a beber um bela de uma imperialeca  num tasco irrespirável e  noutro estarmos a arriscar uma bem recomendada vinhaça numa esplanada com vista sobre a cidade. Por podermos ir à cinemateca e ao mercado do DVD de Campolide. Por podermos ter um amigo rasta, que nos convoca para épicas festarolas junto ao Martim Moniz, e outro que nos leva a passear pelos jardins aristocráticos da sua casa de familia, cheios de histórias e memórias.

 

Sim, percebo muito mal as pessoas que ou só gostam da pastelaria ou só gostam da casa de chá.  Os que só frequentam a pastelaria e são incapazes de passar por uma casa de chá.  Os que se recusam a descer da casa de chá "Tia Constança"  para pedir uma bica ao balcão do café do Zé Nando. Sim, bem vistas as coisas, percebo mal o mundo quase todo.

publicado por Nuno Costa Santos às 00:01
link do post | comentar
2 comentários:
De Nelson a 28 de Fevereiro de 2009 às 15:57
perdoai-lhes pois eles nao sabem o que é bom.
o downside do ecletismo é nunca sabermos bem o que vestir.
De m. a 28 de Fevereiro de 2009 às 21:43
ainda há uns dias falava com alguém sobre o facto de gostar tanto de frequentar guetos e palácios... entendo essa cena de perceber mal o mundo quase todo

Comentar post

Autores

Pesquisar

Últimos posts

Contra nós temos os dias

Do desprezo pela história...

É urgente grandolar o cor...

Metafísica do Metro

A Revolução da Esperança

Autores do Condomínio

Hipocondria dos afectos

A família ama Duvall

Notícias do apocalipse

Meia idade comparado com ...

Arquivo

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

tags

todas as tags

Subscrever