Quarta-feira, 26 de Março de 2008

Comunicado Oficial: Resposta de Carlos Queiroz a Scolari

Existe em Portugal um delito de opinião para o qual uma pequena turba, que só parece grande porque é alimentada pelas bandeiras portuguesas nas varandas de muitos, pede punição e censura. Esse delito de opinião é estar a favor da utilização de jogadores canhotos para a posição de defesa esquerdo na selecção nacional e é particularmente agravado por eu ter dito que há falta de pontas-de-lança de qualidade em Portugal. Se houvesse pelourinho na cidade, a turba lá nos levaria a mim e ao Alex Ferguson para a humilhação pública.


Essa turba olha a minha tentativa falhada de qualificar Portugal para o Mundial de 94 como se fosse a mesma coisa que as vitoriosas campanhas de Scolari no Europeu de 2004 e no Mundial de 2006. A turba tem uma visão do mundo assente num único pilar: o anti-queirozismo militante por razões puramente derivadas de os portugueses gostarem de picanha e usarem bigode como Scolari e eu não gostar da primeira e ter rapado o segundo.


Há meia dúzia de pessoas que foram contra o meu mandato na selecção e que foram capazes de apontar erros reais da actuação da selecção, em particular a minha ignorância em dirigir seres humanos do sexo masculino de idade superior a 16 anos.

Mas os interlocutores sérios são a excepção. Nesta matéria, quem faz lei ideológica são os rabo das mulatas do país de Scolari. Todos os portugueses laudam esses rabos com a linguagem, os slogans, os tiques, os excessos verbais de quem não vê boa bunda em casa e não quer mais nada que a condenação dos rabos das portuguesas. Exageram e dizem que os rabos das portuguesas são flácidos, que elas são envergonhadas e usam fatos de banho completo, reclamam que as portuguesas não usam tanga na praia. Tudo mentiras.


Não lhes interessa que eu, quando dirigi a selecção júnior não tivesse convocado Pauleta porque não compreendia açoreano, não lhes interessa que na defesa eu tivesse canastrões como Fernando Couto e na frente o João Pinto com aquele corte de cabelo medonho e que nessa altura o Deco ainda fosse um menino e ainda não houvesse mulatas em Portugal.


Relembre-se o que eu disse em 94: “É preciso limpar o lixo que há dentro da Federação”. E que fiz eu? Saí da selecção e rapei o bigode. Amamentei o Cristiano Ronaldo desde pequenino, sou eu que lhe corto o cabelo para que não acabe como o João Pinto e até cozinhei bacalhau para o Ferguson e ensinei-lhe a dizer “Caralh*” e “F*oda-se” para ele poder treinar melhor o Cris. E isto para quê? Para o Cris ser espectacular na selecção.


Mas uma coisa é criticar-me por não saber ocupar o meio-campo da Itália e outra é contestar a minha genial decisão de cortar o bigode e negar que fui eu que ensinei português ao Ferguson. Por detrás do meu bigode estava um homem que sabe o que é um canhoto, cozinha bacalhau, e sabe por exepriência própria que em Portugal não há pontas de lança ao nível de uma mulata. Mas dizer isto parece que causa escândalo. Talvez por isso o que está a acontecer na selecção desde a chegada de Scolari é mais do domínio da propaganda do que da realidade.


Por tudo isto concluo que sou espectacularmente genial e que todos os êxitos da selecção se devem a mim.


Sempre vosso,

Carlos Queiroz, cabeleireiro de Cristiano Ronaldo e (esperemos) de Miguel Veloso.

publicado por João Bonifácio às 15:36
link do post | comentar

Autores

Pesquisar

Últimos posts

Contra nós temos os dias

Do desprezo pela história...

É urgente grandolar o cor...

Metafísica do Metro

A Revolução da Esperança

Autores do Condomínio

Hipocondria dos afectos

A família ama Duvall

Notícias do apocalipse

Meia idade comparado com ...

Arquivo

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

tags

todas as tags

Subscrever