Terça-feira, 25 de Março de 2008

Vamos embora Vitórrrrrrrria

Apesar de ser Andrade dos quatro costados sempre gostei do Vitória de Setúbal. Esta fézinha vem-me do tempo em que o meu querido amigo Tavares da Cruz (um dos melhores jogadores juniores de sempre do Vitória) me levava com o filho, e meu amigo de sempre, ao Bonfim. Uma sandes de choco frito e um Sumol de ananás e lá íamos para o nosso lugar nos cativos. Atrás de nós estava sempre uma sra que passava o jogo inteiro a berrar o lema de sempre, “Vamos embora Vitórrria”, naquele sotaque cantado e com os erres bem arranhados.

Vi lá grandes jogadores: Mirobaldo, Caíca, Sobrinho, Octávio, Duda, José Maria, Carriço, Vitor Baptista, Vitor Madeira, Aparício, Joaquim Torres, Hélio, Diamantino e tantos outros.

Jogos, jamais esquecerei dois. O primeiro, um Vitória- FC Porto que terminou 4-4, era o Vitória treinado pelo Malcom Allisson e alinhou nesse dia com 5 pontas de lança: Jordão, Manuel Fernandes, José Rafael, Vitor Madeira (jogador mítico para os sócios do Vitória) e o grande Aparício. O que valeu ao Porto nesse dia foi o rato atómico Rui Barros.

O outro foi no campo do Estrela da Amadora, estava o Vitória na segunda divisão. Os sócios e adeptos invadiram a Reboleira. Não se via um único adepto do Estrela e o campo estava completamente cheio. O Vitória precisava de ganhar para subir e ao intervalo estava 0 a 0. Mas o Aparício, jogador fino, ganha uma bola a meio-campo e dispara uma bala que o infeliz Melo nem teve tempo para levantar os braços. Em toda a minha vida só guardei dois bilhetes de futebol, o desse jogo e o de um, que não vi, que o meu padrinho me ofereceu, em que o Lemos marcou 4 golos ao Benfica.

 

Foi em Setúbal, diz a lenda, que o maior treinador de português de todos os tempos, José Maria Pedroto, ganhou o vício das cartas. Contavam-me os velhos sócios vitorianos que o Zé do Boné, antes dos jogos, se recusava a ir para a cama enquanto estivesse a perder, o que fazia com que raramente perdesse, já que os seus camaradas de jogatana eram vitorianos. Não devia fazer grande diferença já que Pedroto tinha uma fabulosa equipa: Jacinto João, Matine, Tomé, Carlos Cardoso, José Maria, Conceição e o miúdo genial Vitor Baptista. O Vitória atinge o segundo lugar na época de 71/72 e só porque na altura não era possível ser campeão.

Em 1976, o Vitória ainda era o terceiro clube português em palmarés internacional, tendo sido durante muito tempo o único clube português a eliminar o Liverpool e outras equipas inglesas.

 

Daqui a uns dias vou ao Bonfim, já sem o José António Tavares da Cruz que deve andar a pagar copos e sandes de choco frito a meio céu, mas com o filho José Luis ver o meu Porto e, desculpem-me os verdadeiros vitorianos, o meu Vitória. Já sei que quando a bola começar aos saltos o meu coração azul e branco não vai hesitar mas se a coisa correr mal lá estarei no Estádio Nacional a cantar o hino do salmonete.

publicado por Pedro Marques Lopes às 18:27
link do post | comentar
1 comentário:
De José Luís a 1 de Abril de 2008 às 13:14
Pedro

Obrigado por honrares a memória do meu pai, é bom saber que ele se está a alimentar bem lá no céu. VIVA O VITÓRIA. Mas já agora quem é esse ícone do vitória que dá pelo nome de José Rafael?
PS:Tive agora a imprimir uma série de crónicas tuas, vou ler agora o máterial
Um abraço
José Luís

Comentar post

Autores

Pesquisar

Últimos posts

Contra nós temos os dias

Do desprezo pela história...

É urgente grandolar o cor...

Metafísica do Metro

A Revolução da Esperança

Autores do Condomínio

Hipocondria dos afectos

A família ama Duvall

Notícias do apocalipse

Meia idade comparado com ...

Arquivo

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

tags

todas as tags

Subscrever