Sábado, 14 de Junho de 2008

O casal amigo

 

O casal amigo. Não há expressão que me irrite mais. Que diabo será um casal amigo?

Quando me dizem que alguém esteve com um casal amigo percebo logo duas coisas: que essa pessoa não é amiga de nenhum membro de esse casal e que pelo menos um dos membros desse casal é um chato insuportável.

É a velha história que nos impõe que convidemos sempre a mulher/marido, namorada/namorado da pessoa que queremos convidar mesmo que não suportemos a criatura. É a coisa que nos faz perder amigos por supostamente sabermos que o nosso amigo vai ficar ofendido se não convidarmos a parceira e, claro está, vamos perdendo o contacto e, cedo ou tarde, a amizade. É a discussão que temos de manter com a nossa mulher quando anunciamos que vamos a uma festa e que ela não vai porque, pura e simplesmente, as pessoas são nossas amigas e não dela. Posso? Dá para ter amigos que não são dela ou que tão-somente me sinto melhor sozinho com eles do que a ter a tiracolo?  Será que o facto de eu gostar de alguém, dormir com alguém e de até ter filhos de uma pessoa faz automaticamente dela apreciável para o resto do meu mundo?

Eu não quero ser parte de casal nenhum. Quero ser, por favor, apenas eu. Um tipo que até gosta muito de alguém, que até vive com uma pessoa e que até partilha cama e mesa com ela. Que essa pessoa que vive comigo não seja obrigada a gostar dos meus amigos nem em estar com eles e não me obrigue a gostar nem ir a jantares e almoços com gente que ela gosta.

Quando me dizem,“Oh pá, traz a tua mulher”, soa-me sempre a um convite que podia ser para trazer o cão ou a avozinha que vive comigo. Assim como se fosse um sacrifício que a pessoa que me convida estivesse disposta a fazer para poder desfrutar da minha companhia.

Casais são os de pombos e periquitos que compramos para fazer criação.

publicado por Pedro Marques Lopes às 16:20
link do post | comentar
4 comentários:
De Vasco a 14 de Junho de 2008 às 16:48
Sinto a sua dor!
De mestre chou riçá a 14 de Junho de 2008 às 17:40
Não podia estar mais de acordo!
De Mónica a 16 de Junho de 2008 às 16:18
Parece-me que, num "casal amigo", nenhum deles é realmente nosso amigo: é um casal com quem só se consegue manter uma conversa quando estão os 2 em conjunto (só com um seria demasiado confrangedor); que, quando se divorcia, não passam a ser 2 amigos (nossos), mas nenhum; porque um não "existe" sem o outro.

Quando um dos membros é "nosso amigo", dizemos isso mesmo - estive "com um amigo meu". Eventualmente, "estive com um amigo meu e com a mulher dele". Se são ambos amigos, "estive com o X e a Y" ou, para quem não os conhece, "estive com um casal de amigos meus".

O "casal amigo" é, de facto, um híbrido. Curioso, nunca tinha pensado nisso! :-)
De Anónimo a 18 de Junho de 2008 às 19:21
http://www.youtube.com/watch?v=e0BQy4Bfj7s&NR=1

Abordagem curiosa à problemática do casal amigo

Comentar post

Autores

Pesquisar

Últimos posts

Contra nós temos os dias

Do desprezo pela história...

É urgente grandolar o cor...

Metafísica do Metro

A Revolução da Esperança

Autores do Condomínio

Hipocondria dos afectos

A família ama Duvall

Notícias do apocalipse

Meia idade comparado com ...

Arquivo

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

tags

todas as tags

Subscrever