Quinta-feira, 1 de Maio de 2008

Panquecas

Parece-me exagerada a ideia de Truman Capote de que toda a gente tem a disposição para trabalhar criativamente, só que a maior parte não dá por isso. Mas acho que todos temos uma vocação qualquer. A conversa de que existem "pessoas programadas para falhar" parece-me, em geral, gratuita e fácil. Existe, acredito nisso, algures um território onde somos capazes de nos surpreender e surpreender os outros. Pode ser um território mínimo, ridículo e desvalorizado socialmente mas que ele existe, existe. Acho mesmo que um dos objectivos essenciais da vida é tentar encontrar essa vocação - objectivo no qual, por necessidade ou por facilidade, perdemos pouquíssimo tempo. Mesmo os tipos com jeito ou inclinação para uma determinada área deviam tentar perceber se não serão ainda melhores noutra. Aqueles que são bons num determinado domínio  deviam perceber se, dentro desse domínio, não serão melhores a abordá-lo de uma maneira diferente - noutro formato. Acredito que há muito bom carpinteiro que tinha um futuro melhor  na medicina. Que muito  escultor  (de alguma qualidade até) podia experimentar o futebol de salão. Que muito funcionário da ASAE devia tentar a dança jazz. Que muito escritor de romances devia tentar o conto ou a reportagem. Estacionamos na primeira tarefa que nos propomos executar. Só porque "até nos safamos bem". Feliz aquele que, apesar de ter talento para a matemática aplicada, consegue, a certa altura da sua vida, perceber que é genial é a fazer panquecas. E feliz o mundo que fica a ganhar com essa descoberta. Repito: acho que todos - todos mesmo - temos uma vocação qualquer. Até o Gomes da Silva.

publicado por Nuno Costa Santos às 23:43
link do post | comentar
5 comentários:
De romudas a 2 de Maio de 2008 às 10:29
Conheço um tipo que até há bem pouco tempo niguém lhe reconhecia talento algum. Estudou pouco, trabalhou ainda menos. Era constantemente (e ainda é) visto no bar da vila a jogar dardos e a empinar cerveja. De um momento para o outro foi campeão nacional de Bullshooting, já foi a torneios em Chicago, Amsterdão e Tóquio e faz parte da selecção nacional. Sim, existe uma selecção nacional de dardos.
De N. a 2 de Maio de 2008 às 11:17
Não conhecia a ideia de Capote, mas, pela experiência que tenho, não me custa nada dar-lhe razão. Posso garantir que mesmo a aspirar a casa sou criativa, não com o aspirador (embora tenha os meus momentos!...)mas em todos os planos idealizados que me passam pela carola, uns não passarão de planos mas outros concretizam-se e realizam-me.
De pnf a 2 de Maio de 2008 às 11:46
É uma perspectiva optimista, sim senhor. E eu até acredito nela.
Mas, penso eu, só faz sentido para aqueles que procuram uma área em que sejam excelentes. O normal é vermos as pessoas estacionadas na sua área, a serem medianos em tudo, sem força, vontade ou talento para procurarem outros poisos.
De Pipinha a 2 de Maio de 2008 às 14:56
quem descobrir que sabe fazer panquecas perfeitas entre em contacto comigo para contrato milionario ... estou ha aaaaaanos a tentar fazer panquecas altas e fofas ... raios.
De joana a 2 de Maio de 2008 às 16:04
hoje é um bom dia para ler isto.

Comentar post

Autores

Pesquisar

Últimos posts

Contra nós temos os dias

Do desprezo pela história...

É urgente grandolar o cor...

Metafísica do Metro

A Revolução da Esperança

Autores do Condomínio

Hipocondria dos afectos

A família ama Duvall

Notícias do apocalipse

Meia idade comparado com ...

Arquivo

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

tags

todas as tags

Subscrever