Quinta-feira, 17 de Abril de 2008

Os almoços

 

 

Os almoços servem para ter ideias. Ah, e para comer. Quantas vezes não passo as manhãs em branco e parto para um almoço com amigos de bloco engatilhado, pronto a disparar. Sim, sei que, quando voltar do repasto, vou trazer várias ideias no bolso, minhas e dos outros - que isto de fanar estende-se para além do pão e dos pacotinhos de manteiga alheios.  Sim, o brainstorm é mais fácil ao almoço. Justamente porque não tem o grau de responsabilidade de um brainstorm. À partida está-se ali para mastigar e trocar histórias - não para contribuir para o avanço  (ou o desvario) criativo da humanidade. E é por isso é que as ideias descem com mais entusiasmo no - cuidado, vem aí uma imagem - aquaparque do delírio e da imaginação. As melhores ideias que repousam, possivelmente para sempre, nos meus sebentos cadernos tive-as (ou roubei-as) ao almoço. Aqui fica o agradecimento aos criativos comensais.

publicado por Nuno Costa Santos às 20:24
link do post | comentar

Autores

Pesquisar

Últimos posts

Contra nós temos os dias

Do desprezo pela história...

É urgente grandolar o cor...

Metafísica do Metro

A Revolução da Esperança

Autores do Condomínio

Hipocondria dos afectos

A família ama Duvall

Notícias do apocalipse

Meia idade comparado com ...

Arquivo

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

tags

todas as tags

Subscrever