Segunda-feira, 16 de Janeiro de 2012

uma conspiração de inocentes

Em Portugal, há sempre alguém que nos anda a lixar. Ou são os políticos, ou os banqueiros, ou os empresários, ou a polícia, ou o árbitro, ou os espanhóis, ou os alemães, ou os chineses, ou a agência de rating. Mas também o patrão. E o colega do lado. E o vizinho de baixo. E as finanças, e o médico, e o professor, e o tipo da oficina, e a mulher da lavandaria, e os gajos da EDP, e os da TMN, e o homem das obras, e o canalizador. E a maçonaria, e os ricos, e a função pública, e os grevistas, e as fundações, e os empreiteiros, e os juízes, e os farmacêuticos, e os jornalistas, e os gajos da igreja, e os comunistas, e os tipos da direita, e os taxistas. Ui, os taxistas. Para já não falar do azar, e do tempo, e da geografia.

 

Há uma conspiração cósmica para nos tramar. Especificamente a nós. Povo indefeso, honesto, trabalhador, bem formado, talentoso, incompreendido, injustiçado.

 

Que pena. Que pena que tenhamos tantas qualidades e nos falte a capacidade de colocar, por um momento, a absurda hipótese de estarmos na valeta por culpa própria. De sermos, quem sabe, um batalhão de derrotados, invejosos, preguiçosos, comichosos, queixosos, queixinhas, saudosistas não se sabe de que tempo, luminárias que – ó injustiça! – ninguém foi capaz de entender e dar o valor e a oportunidade. De termos, porventura, nascido geneticamente impreparados para a auto-crítica e para a auto-ironia e para o acto de contrição e para que o único orgulho de que sejamos capazes seja o orgulho da virgem ofendida. Por já só sabermos ser felizes neste papel, do insulto atirado da arquibancada, do miserabilismo, do pobrezinho, de quem comprou a paz da própria alma com o mito de que o universo esteve montado desde sempre para nunca nos deixar vencer.

 

Notícia de última hora: no derrotismo que matou Portugal, só um suspeito esteve lá, todo o tempo, no local do crime: o português.

publicado por Alexandre Borges às 00:12
link do post | comentar
1 comentário:
De Sandra Almeida a 22 de Janeiro de 2012 às 20:45
Caraças, onde está o botão do like disto?

Comentar post

Autores

Pesquisar

Últimos posts

Contra nós temos os dias

Do desprezo pela história...

É urgente grandolar o cor...

Metafísica do Metro

A Revolução da Esperança

Autores do Condomínio

Hipocondria dos afectos

A família ama Duvall

Notícias do apocalipse

Meia idade comparado com ...

Arquivo

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

tags

todas as tags

Subscrever