Quinta-feira, 22 de Dezembro de 2011

Uma zona de conforto à beira mar plantada

Acho que foi Ary dos Santos quem um dia disse que a palavra é uma arma, o que faz do actual governo um pelotão de fuzilamento. Segundo a Wikipedia, “um pelotão de fuzilamento é composto por um grupo de pessoas (geralmente soldados) que recebem ordens para disparar em simultâneo contra a pessoa condenada.” Quem diz soldados, diz ministros, secretários de estado ou deputados.

 

A estratégia motivacional deste governo iniciou-se há algumas semanas atrás quando Alexandre Mestre, secretário de estado do Desporto, sugeriu aos concidadãos desempregados que abandonassem  a sua zona de conforto e emigrassem. Não foi por acaso que o primeiro repto lançado aos portugueses para se pôrem na alheta veio de uma pessoa cuja principal função no governo é ocupar lugares reservados em estádios de futebol e ir buscar atletas medalhados ao aeroporto. Se atentarmos no valor da sua declaração, e a isso juntarmos as funções que desempenha, verificamos que Alexandre Mestre está para o trabalho governamental um pouco como Jorge Máximo está para o terminal de chegadas em Lisboa ou para o Estádio da Luz.

 

O abandono da zona de conforto evocado por Alexandre Mestre esbarra num detalhe tão pequeno que até parece picuinhas da minha parte mencioná-lo, mas cá vai: para boa parte dos portugueses, não existe. Portanto, quando alguém sugere a 700 mil desempregados que abandonem a sua zona de conforto, é importante verificar alguns pressupostos. Primeiro, convém certificar-se de que os destinatários da mensagem residem nesse código postal onde tudo é seguro e adquirido. Como isso não será possível, terá que induzir todas estas pessoas num transe qualquer e convencê-las a abandonar o sítio imaginário onde vivem. Em seguida, deverá ligar para todos os aeroportos e estações de comboios e pedir um reforço de pessoal. Como em todos os processos de escoamento de stock, há uma importante dimensão logística que é preciso ter em conta.  

 

Poderia parecer que estou a dar demasiada importância às palavras de Alexandre Mestre, não tivessem estas ganho alguns seguidores ilustres. O Primeiro Ministro, já esta semana, mostrou afinal de contas porque é o candidato mais africano de todos e recomendou os PALOPs como futuro destino de dezenas de milhares de professores - isto se os ditos professores não quiserem mudar de área. Todos os que estiverem dispostos a enveredar por outra carreira - e imediatamente perceberem que tal só será possível na secção de frescos do Pingo Doce – poderão seguir o conselho sábio de Alexandre Mestre, que tem a vantagem de alargar as possibilidades para além dos PALOPs. O mundo é uma ostra, amigos, e os nossos antepassados foram grandes descobridores, como oportunamente referiu o historiador Miguel Relvas.

 

Mas não se pense que isto são só umas bocas mandadas para o ar sem qualquer tipo de consideração pelos portugueses. Não senhor. O eurodeputado Paulo Rangel já veio a público para transformar a sugestão em visão estratégica, sugerindo a criação de uma agência de apoio à emigração. Parece-me uma ideia interessante, especialmente se fizer pelos portugueses aquilo que o PSD fez por Paulo Rangel, obrigando o advogado nortenho a abandonar a sua zona de conforto para viver em Bruxelas e representar os nossos interesses (vá lá, não se riam). Moral da história: portugueses e portuguesas, amigos e amigas, malta, sócio, já percebeste: eras o maior se nos fizesses o favor de abandonar a zona de conforto. Ou desconforto. Epá, o que te soar melhor. Desde que te ponhas a andar, até lhe podes chamar Portugal.

publicado por Vasco Mendonça às 13:34
link do post | comentar
1 comentário:
De Ana Martins a 12 de Setembro de 2012 às 14:03
Very nice. O de 11 de Setembro também... Vou ver se começo a dar por cá um saltinho. :)

Comentar post

Autores

Pesquisar

Últimos posts

Contra nós temos os dias

Do desprezo pela história...

É urgente grandolar o cor...

Metafísica do Metro

A Revolução da Esperança

Autores do Condomínio

Hipocondria dos afectos

A família ama Duvall

Notícias do apocalipse

Meia idade comparado com ...

Arquivo

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

tags

todas as tags

Subscrever