Quinta-feira, 22 de Dezembro de 2011

Tu ainda és o meu cantor de intervenção

Corríamos as ruas da vila todas as noites. Pintámos as paredes com palavras. Punk is not dead. Pareceu-nos necessário. Punk is in the head. Manifesto qualquer coisa: uma insatisfação, um desgosto, uma inquietação, uma alegria, o Elvis. Manifesto sub-16. Depois vieram os livros, outras interrogações, o reforço das preocupações e da vontade de mudar o mundo todo com as palavras que ainda rasgavam as paredes da vila. Punk is not dead. Não te esqueças, rapaz! Ajuda lá a cantar esta canção. É uma canção sobre liberdade. Ainda vais para o inferno.

 

Na caixa da guitarra, as mesmas palavras. Punk is in the head. Na vila, pelas ruas, "mas tu não és de direita?"; está tudo na cabeça, ainda vais para o inferno por ajudares a questionar, a perguntar porquê e a dizer que não e a dizer que sim. O mundo estava ali, à porta, com o desafio nas mãos e tu como é que ias enfrentá-lo? Com o gatilho, claro. Sempre com o gatilho. Não desistas, rapaz. Nunca desistas das canções de liberdade, das que te libertam para sempre e para o bem. O bem não tem cor. O bem é o bem.

 

Porque quando és um puto é tudo mais fácil de resolver e só podes aproveitar essa oportunidade para ser melhor. Porque as palavras rasgam bem mais do que as paredes de uma pequena vila. Porque é o outro extremo que te ajuda a pensar. Tantas coisas que se podem trazer na mala, quando és obrigado a crescer e a deixar de escrever nas paredes. Punk is not dead. Éramos muitos. Era muito. Só se pode agradecer e nunca esquecer. É impossível esquecer o que nos fica na pele.

 

Já não se faz música de intervenção, dir-se-ia; que essas coisas têm o seu tempo. Pois o inconformismo não tem tempo. Punk is in the head. Há sempre qualquer coisa que te inquieta e por isso tens de cantar as canções que te libertam. Eu tinha 14 anos quando ouvi o London Calling. Nunca te esqueças. 14 anos. O sangue ainda corre nas mesmas veias. Nunca te esqueças, rapaz.

 

Passam hoje 9 anos que morreu o Joe Strummer. Ajudem lá a cantar.

 


publicado por jorge c. às 12:06
link do post | comentar

Autores

Pesquisar

Últimos posts

Contra nós temos os dias

Do desprezo pela história...

É urgente grandolar o cor...

Metafísica do Metro

A Revolução da Esperança

Autores do Condomínio

Hipocondria dos afectos

A família ama Duvall

Notícias do apocalipse

Meia idade comparado com ...

Arquivo

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

tags

todas as tags

Subscrever