Terça-feira, 8 de Novembro de 2011

Inquietação

Há uma canção dos James que diz que é necessário saber a verdade para acreditar. Disparate.

Nunca conheci crença que precise de qualquer tipo de  verdade. “Felizes os que acreditam sem terem visto”, dizia Jesus Cristo.  As crenças só são realmente fortes se desprezarem a verdade. Ou melhor, a verdade e a crença são as faces da mesma moeda. Nem há verdade sem crença, nem crença sem verdade. Se pensássemos serem realidades intrinsecamente diferentes estávamos a dar um carácter divino ao julgamento humano. Como se cada um de nós fosse capaz de conhecer a verdade ou o seu significado.

A verdade não é mais que uma opinião sobre as coisas. E nós dependemos dessas opiniões como do sol, do ar, da água, da comida. São elas – e são infinitamente mais do que imaginamos – que nos permitem ir sobrevivendo sem enlouquecer ou sem colocar em causa tudo o que aparentemente é fundamental para a nossa existência. Vivemos tão mais sossegados quanto mais firmes forem as nossas opiniões. Precisamos que sejam sólidas, à prova de contestação. Chegamos ao limite de não as testar, de não as discutir, de não nos aproximarmos de quem as possa pôr em causa. O risco é demasiado grande. Uma gota de dúvida transforma-se rapidamente num imenso rio de incerteza capaz de derrubar o dique que julgávamos impenetrável.

Ai dos que duvidam, dos que ousam olhar para o outro lado, dos que teimam em procurar, dos desassossegados. Esses apenas encontrarão mais perguntas, mais entroncamentos, mais e mais portas, mais e mais angústia, mais e mais  inquietação.  São esses, porém, que amo. Os que o Gide pensava serem os únicos em quem confiar: “Believe those who are seeking the truth. Doubt those who find it”.

 


publicado por Pedro Marques Lopes às 00:53
link do post | comentar
2 comentários:
De golimix a 8 de Novembro de 2011 às 19:09
Prefiro a inquietação da minha alma, que não toma tudo como verdades inquestionáveis, à certeza insana de muitos que nada questionam e não se abrem para a vida, e para as suas maravilhosas incertezas! Sim, porque a vida é feita de descobertas e de de portas que se abrem...
De mlcfs a 8 de Novembro de 2011 às 22:19
Felizes os que duvidam ... mesmo que os conduza a janelas que se fecham

Comentar post

Autores

Pesquisar

Últimos posts

Contra nós temos os dias

Do desprezo pela história...

É urgente grandolar o cor...

Metafísica do Metro

A Revolução da Esperança

Autores do Condomínio

Hipocondria dos afectos

A família ama Duvall

Notícias do apocalipse

Meia idade comparado com ...

Arquivo

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

tags

todas as tags

Subscrever